4 de março de 2011
Sinopse: 1891. Nova Inglaterra. Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo.
Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a Srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros - únicos companheiros e confidentes - antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?

É uma história curiosa a que tenho que contar, uma história de difícil absorção e entendimento, por isso é uma sorte que eu tenha as palavras para cumprir a tarefa. Se eu mesma digo isso, quando talvez não devesse, é que para uma menina da minha idade tenho um ótimo vocabulário. Extremamente bom, para falar com franqueza. Porém, devido às opiniões rígidas de meu tio em relação à educação das mulheres, tenho escondido minha eloquência, soterrado meu talento e mantido apenas as formas mais simples de expressão aprisionadas no cérebro. Tal dissimulação transformou-se em hábito e foi motivada pelo medo, pelo grande medo de que, se falasse como penso, ficaria evidente meu contato com os livros e eu seria banida da biblioteca." (fragmento)

" Quando vi esse livro na biblioteca eu disse: É esse que vou levar... Comecei a ler com tanta vontade, que quando eu vi estava praticamente terminando a história, de tão envolvente que era. Mas bem diferente das literaturas que estava lendo ultimente. Um romance no estilo gótico bem complicado e ao mesmo tempo surpreendente.

Florence e seu irmão mais novo Giles vive em uma propriedade rural abandonada na Nova Inglaterra. Eles foram deixados lá sob a tutela de seu tio, que eles nunca conheceram e que nunca chegou a visitá-los.
No inicio, as crianças levam uma vida mágica, podendo fazer o que quisessem por horas, até dias, sem que ninguém os repreenda, até que Giles é mandado para uma escola/internato.
Seu tio se recusa a permitir Florença aprenda a ler, então ela se educa, secretada por horas na vasta biblioteca da casa, inventando complicados planos de fuga e esconderijos.
Giles, incapaz de lidar com os rigores de uma escola para meninos, é mandado para casa para ser ensinado por um preceptor. Mas eles contratam uma preceptora, a Sra. Whitaker, e Florence não gosta dela, e ela tem um infeliz acidente. Mas uma nova preceptora é contratada, a Sra Taylor.
Mas Florence está convencid de que a preceptora é um espírito maligno que veio para levar Giles embora. E ela tenta fazer de tudo para que a Sra Taylor não leve Giles embora.

Não saber o que se esperar de um livro é um otimo motivo para ser continuar uma leitura. E 'A menina que não sabia ler' (se você não for olhar a sinose é claro), tem uma capa simples e o título passa a idéia de uma história em que provavelmente uma menina se esforça o máximo possível para aprender a ler. Mas esse detalhe só é acrescentado bem no inicio da narração, pois em seguida se apresenta uma trama bem complexa.
Primeiro você tem uma Florence doce e sensível, apaixonada pelos livros, preocupada com o irmão., que conquista na hora o leitor. E logo depois uma Florence obcecada e assustadora. Ela é uma menina que vive mais na imaginação do que na realidade, fazendo com que qualquer pessoa que tente chegar perto de Giles, passe a ser uma ameaça, o que transforma Florence em uma menina uma tanto esquizofrênica.
A história é narrada do ponto de vista de Florence, e podemos ver os personagens, através de seus olhos e descritos em sua linguagem peculiar. A narrativa é envolvente,cria uma tensão brilhante, onde o leitor sabe que está vindo algo ruim, mas com poucas pistas sobre a direção. E então, de repente, depois de toda aquela tensão, a história explode em um final frenético, que, embora dramático e surpreendente, perde algum impacto.
O desfecho pode até se fazer sem sentido, mas tem-se uma expeculação certeira, mas não tão satisatórios, por exemplo: Porque o tio de Florence nunca aparecia? Ou era pai? Porque ele a proibiu realmente de ler? Porque as fotos da mãe de Giles estão todas recortadas?
Há muitas perguntas sem respostas. Apesar de alguns detalhes, a escrita é fascinante. Apesar de algumas falhas, esta é uma boa e inteligente história gótica, que vale a pena ser lida.
 
Nota:  O titulo A Menina que não Sabia Ler é enganador, pois não tem nada a ver . Provavelmente a publicação no Brasil foi feita sob esse título, pra chamar a atenção, e por remotar a uma comparação com o livro A menina que Roubava Livros., atraindo assim compradores. Mas o Título Original é "Florence and Giles", que não sugere exatamente do que se trata o livro, mas muito mais apropriado. E quanto a capa aqui no Brasil também deixa a desejar, agora vejam a capa original ao lado, é bem mais sugestivo do que a nossa.

13 comentários:

  1. Ei Kézia,

    Sempre quis ler este livro mas ainda não tive a oportunidade, adorei o trecho que vc citou.

    bjo

    ResponderExcluir
  2. Esse livro naum é pra mim... naum tem mto a ver comigo...

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. dá uma raiva quando o nome do livro em portuga não tem nada a ver com o livro, ¬¬
    Há tempos tenho vontade de ler esse livro, mas até hoje não comprei. =/

    beijos.

    ResponderExcluir
  4. OLÁ
    ADOREI SEU BLOG E ESTOU SEGUINDO.
    ME SEGUE:
    WWW.AMORIMORTALL.BLOGSPOT.COM
    BEIJOS

    ResponderExcluir
  5. Eu comprei esse livro na Bienal ano passado, toda empolgada. Nem sabia direito do que se tratava, pensei que fosse fantasia, tipo Coração de Tinta. Depois que li umas resenhas falando que é mais pesado, desanimei e ainda não li. Não gosto muito de histórias góticas. Sou medrosa, haha. A capa brasileira engana muito! E é tão bonita...

    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Eu me apaixonei por esse livro
    Só não gostei de saber que é uma história de difícil absorção e entendimento...
    Mas acho que vou arriscar

    Ei, eu também gostei muito do seu blog
    Vamos trocar links?

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Kézia!

    Essa é a 1ª resenha que leio desse livro, esta ótima por sinal, ele parece bem diferente do que eu imaginava, fiquei bem interessada por causa dessas mudanças da personagem e por ser mais sombrio.

    Sabe que exatamente por causa do nome que lembra o nome do outro - ali na sua nota - que eu nem tinha me interessado muito.

    Bjuss

    ResponderExcluir
  8. nunca li esse livro mas parece ser interessante

    ResponderExcluir
  9. Eu quero ler esse livro. Já dei ele de presente assim que foi lançado, qualquer dia desses peço emprestado! rsrsr


    beijo

    ResponderExcluir
  10. Oi Kézia, essas mudanãs que fazem com os livros aqui no Brasil é uma negação e mudam coisas que não deveriam ser mexidas.

    Sempre achei muito interessante esse título mas imaginei que fosse algo bem ligado a isso, mas já vi que muda muita coisa.

    Xero.

    ResponderExcluir
  11. Realmente, o título e a capa originais parecem mais adequasos, de acordo com o que vc relatou da história...

    Já lia lgumas resenhas sobre esse livro, mas nunca me interessei. Quem sabe um dia?

    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Essa história deixa muita gente em dúvida, mas eu gostei. Ainda quero reler o livro, pois todas as dúvidas que tinha durante a leitura não existem mais, vou poder analisar melhor, pois fiquei chocada com o decorrer da história, que fui só me deixando levar...

    Beijos,
    Dri Ornellas
    http://a-menina-do-fim-da-rua.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Desde que Florence achou o álbum tive certeza que seu tio era na verdade seu pai, que desgostoso com uma traição de sua mulher, a expulsou de casa, cortou seus rostos de suas fotos e deixou seus filhos com uma governanta e os criados, afastando-se com o desgosto.
    Comm relação à Srta Taylor, para mim é bem óbvio que é a mãe de Giles que assim que conseguiu uma forma retornou à casa para levar seu filho com ela, e demonstra isto em várias passagens no livro, especialmente na devoção e amor que demonstra com Giles. Não tenho dúvidas quanto à isso e nem quanto aos delírios de Florence, mas sinceramente acho que deveria estar descrito no livro. Quanto ao final, completamente inesperado, matar a todos deste jeito, mas...

    ResponderExcluir

Seja sempre Bem Vindo! Obrigada pelo Cometário e pela Visita!

✿ Mídia Social

✿ Artistas

✿ A Blogueira

Minha foto
Paraense de nascimento e gaúcha de coração. Autora do Livro O Coração de Salatiel e escrevendo a Saga Anáriön. Estudante de Engenharia de Software, Chocólatra,Guerreira da Luz, Pianista, Livromaníaca, Cinéfila, Jedi, Grifinoriana, Narniana, Tolkienmaníaca,Juramentada a Casa de Deus, apaixonada por cultura oriental, arte e séries americanas.

✿ Pesquisa

Carregando...

✿ Meu Livro

Para adquirir essa obra diretamente comigo, 
entre em contato através do email:
kezialobo@bol.com.br
Avaliação no Skoob

✿ Lendo

Tecnologia do Blogger.

✿ Pop da Semana

✿ Apoio




✿ Leio e Recomendo

✿ Publicidade

✿ Arquivo

✿ Acessos